“Projeto Pé de Meia” chega a Jaboticabal para ensinar crianças a planejar e poupar dinheiro

por Ana Paula publicado 14/06/2019 16h54, última modificação 18/06/2019 14h45
Cerca de 60 alunos do 5º ano da EMEB Coronel Vaz participaram de atividades conduzidas por membros do "Projeto Pé de Meia".

Poupar dinheiro não é tarefa fácil em tempos de vacas magras, mas é indispensável quando o assunto é equilíbrio financeiro. Afinal, quem não segue a cartilha do orçar, poupar e investir, cedo ou tarde corre o risco de passar por apertos financeiros. O quadro piora quando educação financeira é uma disciplina que passa longe do dia a dia.

E para começar desde cedo a aprender a árdua, porém necessária, tarefa de se planejar e economizar para uma compra consciente, alunos do 5º ano da Escola Municipal de Educação Básica Coronel Vaz, de Jaboticabal, participaram, na manhã de sexta-feira (14/06), da implantação de uma atividade para lá de importante sobre educação financeira: o “Projeto Pé de Meia”.


Membros do "Projeto Pé de Meia" ministram palestra sobre educação financeira para alunos do Coronel Vaz.

Conduzido por membros do Clube de Mercado Financeiro, programa de extensão da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA/RP) da USP, o encontro contou com a participação de cerca de 60 alunos do 5º ano, além da presença de professores e alguns estudantes do oitavo ano que serão multiplicadores do projeto na unidade escolar.

Despertar e motivar nos alunos o hábito de poupar dinheiro diante do consumismo foi o ponto alto do encontro. Com uma didática lúdica voltada para os pequenos, comparação de compras à vista e a prazo, de dinheiro real e cartão de crédito, definição de bens supérfluos e necessários, ato de pechinchar para conseguir melhor preço e até mesmo a inflação estiveram entre os assuntos abordados.


Alunos participam da dinâmica: objetivo é comprar produtos indicados e economizar o máximo possível.

Uma dinâmica de cotação de preço, para simular a pesquisa e compra de produtos em dois supermercados fictícios também foi desenvolvida entre as crianças para a fixação do aprendizado. “Eles tinham que ver qual era o mais barato e, no final, tinham que conseguir economizar o máximo de dinheiro possível. Isso para mostrar a importância de não comprar na primeira loja. Tem que esperar e ver qual o lugar mais barato, quais as opções mais baratas, tentar pechinchar, tentar negociar para conseguir o melhor preço. E não gastar com tudo o que acha que é necessário, porque a gente confunde muito o que é bem necessário e o que é um bem supérfluo. É uma distinção que é bom ter desde novo”, apontou a palestrante Gabriela Pena Paiva.


Vereador Luís Carlos, e representante da secretaria de Educação, Iara, acompanham a dinâmica.

Dar preferência para produtos similares mais baratos e comprar em locais que ofereçam melhores preços estão entre as dicas. E parece que as crianças entenderam o recado. O aluno Eduardo Florêncio mostra que já sabe tirar de letra: “a loja perto da minha casa, tudo é barato. A bolacha é R$ 0,50. É tudo barato lá”, disse. Para Pedro Pinheiro, “o mais importante é economizar”, ideia compartilhada pelo colega Estevão Ferreira, “eu aprendi como é economizar. Eu vou guardar sempre no meu cofrinho”.

 
[Esq. à dir.] Pedro e Estevão falam sobre a experiência: economizar é a palavra de ordem.

Segundo Gabriela, “toda educação financeira é bem-vinda a qualquer época da nossa vida. Mas quando a gente tem desde criança é mais fácil. A criança já começa a ter o primeiro contato com o dinheiro, e quanto antes fizer isso, ela já consegue ter mais consciência do que está fazendo. Eu mesmo, antes de entrar no projeto, eu não tinha tido educação financeira. Eu ia gastando... Às vezes meu pai falava: – Não tenho dinheiro! E eu falava: Pai, passa no cartão! Mas eu não tive essa educação [financeira]. Hoje tenho consciência de que o dinheiro pode ser nosso aliado, mas também pode ser nosso inimigo. Então acho importante desde cedo ter esse conhecimento”, defende a instrutora do “Pé de Meia”.

Para o vereador Luís Carlos Fernandes (PSC), que em 2017 apresentou a indicação legislativa (Indicação nº 457/2017) para a implantação da educação financeira nas escolas municipais ao Poder Executivo, aprender desde cedo a cuidar do dinheiro pode refletir positivamente na fase adulta. “A educação é a base para toda e qualquer sociedade. Nós precisamos investir cada vez mais na educação, visando melhor qualidade de vida, melhor ensino. A questão financeira é um grande problema mundial. Então esse projeto, com conceito simples, onde os graduandos [da USP] vão passar aos alunos do 5º ano, e também do 8º, porque a escola está ampliando [o projeto na escola], conceitos simples que fale no nível da criança, para que ela possa acompanhar e aprender, preparando nossas crianças para um futuro econômico muito melhor. Agradeço ao prefeito Hori, ao secretário Leonardo e a todos os professores envolvidos, que foram sensíveis a esta necessidade, e que estão colocando em prática esse projeto que é tão importante para o desenvolvimento das nossas crianças”, pontuou o parlamentar.


Palestra acontece simultaneamente em duas salas.

De acordo com a diretora da EMEB Coronel Vaz, Fabiana Braccialli, os alunos da USP orientaram professores e alguns alunos do oitavo anos servirão de multiplicadores do projeto dentro da escola. “Foi com bastante alegria que nós abraçamos esse projeto, para que esse trabalho tenha continuidade para que os alunos possam perceber a importância do controle financeiro em casa. Dessa economia que hoje em dia é tão importante para as famílias. Agora professores e alguns alunos do oitavo ano hoje participam para que possam ser multiplicadores desse aprendizado junto às crianças dos quintos anos ao longo do ano. Ao final nós vamos chamar as famílias para conhecer um pouco desse trabalho”, finalizou a dirigente.

Palestras em Jaboticabal devem continuar no próximo semestre. “Nós já estamos montando o cronograma do projeto [Pé de Meia] para o próximo semestre. Já temos para outras cidades, e queremos colocar a prefeitura de Jaboticabal como um parceiro fixo”, contou Gabriela.

O PROJETO – Desenvolvido pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA/RP) da USP, em parceria com o Clube de Mercado Financeiro, o “Projeto Pé de Meia” tem como objetivo fornecer o conhecimento básico sobre educação financeira. O foco é capacitar crianças, jovens e adultos na autogestão financeira, baseando-se nos conceitos: orçar, poupar e investir.

Em Jaboticabal, o projeto é uma parceria da Prefeitura Municipal, através da secretaria de Educação, Esporte, Cultura e Lazer, com a FEA/RP da USP, intermediada pelo vereador Luís Carlos Fernandes.

Assista como foi >



Ana Paula Junqueira

Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478