Ato de conscientização mobiliza Jaboticabal na luta contra a exploração e abuso sexual infantojuvenil

por Ana Paula publicado 10/05/2019 13h32, última modificação 10/05/2019 13h58
Só em 2017, o Disque 100, canal gratuito que recebe denúncias de violação dos direitos humanos, registrou 20.330 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes.

Diversão e arte marcaram um ato de conscientização contra o abuso e exploração sexual infantojuvenil no sábado (04/05), em Jaboticabal. Esta é a 2ª edição do evento, realizado na Praça Nove de Julho, no centro da cidade, e faz parte da Semana Municipal de Conscientização e Combate a Violência e Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes (Lei nº 4869/2017), de autoria da vereadora Dona Cidinha (PRB). O ato serviu ainda para marcar o dia 18 de maio, quando é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual infantojuvenil.

A ação contou com a Frente Parlamentar contra o Abuso e a Exploração de Crianças e Adolescentes itinerante, da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado federal Roberto Alves (PRB), que marcou presença em Jaboticabal. Prefeitura, Câmara Municipal e Tiro de Guerra também somaram forças na realização do evento.


Alunos do Projeto Guri se apresenta e encanta pública presente.

Crianças e adolescentes alunos do Projeto Guri de Jaboticabal, da ONG Amor Solidário e da Igreja Batista Renovada fizeram o show exercendo seus direitos de expressão através de música e dança. Dezenas de crianças e adolescentes igualmente praticaram seus direitos de brincar e de se divertir, conforme garante o Art. 16 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Algodão-doce, pipoca e pula-pula estiveram disponíveis durante toda a ação, e até uma bicicleta foi sorteada ao final do evento.

 
Crianças e adolescentes da Igreja Batista Renovada e ONG Amor Solidário fazem apresentações de dança e música.

Mas, apesar do colorido, da música entoada e executada pelos alunos dos projetos sociais, e da alegria do momento, para muitas crianças, a realidade não é assim tão doce e nem divertida.

“Essa luta não é minha, não é sua, é de todos nós. Infelizmente ao invés do problema diminuir, tem aumentado. Nós temos que conscientizar nossas crianças, eles têm que crescer sabendo se livrar do perigo, essa exploração e abuso não só sexual, mas de todas as formas, que acontece em todas as classes [sociais]. Infelizmente, em Jaboticabal não é diferente. Também acontece. E por que as pessoas não denunciam? Porque normalmente isso acontece dentro de nossas casas, e as pessoas ficam com medo. Mas não cale. Disque 100! Nossas crianças precisam de apoio, porque o futuro a elas pertencem, e está na nossa responsabilidade estar cuidando delas”, pediu Dona Cidinha.


Denuncie... "não cale. Disque 100! Nossas crianças precisam de apoio, porque o futuro a elas pertencem", pede a vereadora Dona Cidinha, organizadora do evento.

Só em 2017, o Disque 100, canal gratuito que recebe denúncias de violação dos direitos humanos, registrou 20.330 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. Só no Estado de São Paulo foram registradas 2.534 denúncias de abuso sexual e 588 de exploração sexual. De janeiro a junho de 2018, foram registradas 1181 denúncias de abuso sexual, 222 de exploração sexual e 29 de pornografia infantil.

De acordo com dados do boletim epidemiológico divulgado em junho de 2018 pelo Ministério da Saúde, de 2011 a 2017 foram notificados 184.524 casos de violência sexual, sendo 58.037 (31,5%) contra crianças, e 83.068 (45,0%) contra adolescentes. Um aumento de 64,6% e 83,2% nas notificações de violência sexual contra crianças e adolescentes, respectivamente.

As meninas foram as que mais sofreram com violência sexual: foram 43.034 (74,2%) casos notificados; 14.996 (25,8) eram do sexo masculino. Do total, 51,2% estavam na faixa etária entre 1 e 5 anos. Em 69,2% dos eventos, os casos ocorreram dentro de casa, e 4,6% na escola. 62,0% foram notificados como estupro. Vale destacar que, para o Ministério da Saúde, são considerados violência sexual os casos de assédio, pornografia infantil, estupro e exploração sexual.

Já a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente estima que, a cada 24 horas, cerca de 320 crianças sejam exploradas no país. E os números devem ser bem maiores, já que muitos casos nem chegam a ser denunciados.


Autônoma, Rosilene deixou de trabalhar para acompanhar os filhos no evento. 

Para Rosilene da Silva, mãe de dois filhos, um adolescente de 14 e uma menina de nove, os pais devem estar atentos. “A minha preocupação maior é em relação a isso [violências sexuais]. A gente se depara com esses crimes todos os dias, então o que a gente puder fazer para combater... Espero que os pais estejam mais presente, participem de eventos como este, porque são nossos filhos. É o futuro deles que a gente tem que cuidar”, disse ela.

“Nós não podemos parar. Nós temos que ir pra cima dos abusadores. E pedir a população que use o Disque 100. É levar conscientização para que as pessoas que sabem que uma criança está sendo abusada ou explorada sexualmente, não tenha medo de fazer denúncia. As pessoas às vezes tem medo: - vou denunciar e vão saber que fui eu... Não! Sigilo absoluto. Ninguém fica sabendo quem fez a denúncia. Mas é importante. Use o Disque 100”, orientou repetidamente o deputado.


Deputado federal Roberto Alves fala da importância da denúncia pelo Disque 100 e lança a 2ª edição do gibi "Robertinho e sua Turma".

O parlamentar também fez o lançamento oficial da 2ª edição do gibi “Robertinho e Sua Turma”, com foco nos adolescentes. A história em quadrinhos “fala sobre o abuso que acontece com as crianças através da internet. Temos que tomar os cuidados devidos com a Internet. E esse gibizinho alerta as crianças sobre todos os cuidados que elas têm que tomar [no ambiente digital]”, destacou o parlamentar.

Autoridades da cidade e região também marcaram presença no evento, entre eles, o presidente da Câmara Municipal de Jaboticabal, Pretto Miranda Cabeleireiro (PPS). “Viemos prestigiar nossa colega de Câmara. Nós também trabalhamos com crianças e estamos atentos a esse problema que acontece no Brasil inteiro, do abuso sexual, e outros tipos de violência contra criança, e lembrando sempre para denunciar, porque aquele que não denuncia é coautor do crime”, pontuou o Chefe do Legislativo jaboticabalense. O vereador da cidade Samuel Cunha, e representantes de Beto Ariki e Dr. Edu, além de secretários de Governo de Jaboticabal, do prefeito de Guariba, Francisco Mançano, parlamentares de outros municípios, como Paulo de Sá, de Guariba; Antônio Marcolino, de Sertãozinho; Rodrigo Novelli, de Itápolis; Luís da Farmácia, de Tabatinga, entre outros, igualmente prestigiaram o evento.


Autoridades da região acompanham o ato. Objetivo é levar o evento para seus municípios.

FIQUE ATENTO CONTRA O ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. OBSERVE OS SEGUINTES SINAIS:

•    Mudanças bruscas de comportamento sem explicação aparente.
•    Mudanças súbitas de humor, comportamentos regressivos e/ou agressivos, sonolência excessiva, perda ou excesso de apetite.
•    Baixa autoestima, insegurança, comportamentos sexuais inadequados para a idade, busca de isolamento.
•    Lesões, hematomas e outros machucados sem uma explicação clara ou coerente de como aconteceram.
•    Gravidez na adolescência.
•    Doenças sexualmente transmissíveis.
•    Fugas de casa e evasão escolar.
•    Medo de adultos estranhos ou conhecidos, de escuro, de ficar sozinho e de ser deixado próximo ao potencial agressor.
Fonte: Childhood

PROCURE AJUDA E DENUNCIE EM QUALQUER DESTAS INSTITUIÇÕES:

•    Conselho Tutelar da cidade;
•    Ligue para o Disque 100;
•    Na escola, comunique ao seu professor, orientador ou diretor;
•    Procure a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente, ou delegacia mais próxima;
•    Em casos de urgência, ligue para a Polícia Militar (190) ou Polícia Rodoviária Federal (191).

A galeria de fotos está disponível na página da Câmara no Facebook. Curta e compartilhe!

Ana Paula Junqueira
Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478