Escola do Legislativo promove curso de Português para comunidade surda de Jaboticabal e região

por Ana Paula publicado 15/02/2019 15h25, última modificação 15/02/2019 15h34
Voltado exclusivamente para o público surdo ou com deficiência auditiva, o curso é gratuito e conta com o apoio da APÁS.

A Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Jaboticabal abre suas atividades na próxima quarta-feira (20/02) com o curso “Língua Portuguesa Escrita para Surdos”, voltado exclusivamente ao público surdo ou com deficiência auditiva usuários da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) de Jaboticabal e região. O evento conta com o apoio da Associação de Pais e Amigos dos Surdos (APÁS).

O curso é totalmente gratuito. As aulas seguem até dezembro, às quartas-feiras, sempre no período da tarde, e será realizado na sede da APÁS, localizada na Rua Francisco Godoy Macota, 14, no bairro Recreio dos Bandeirantes.

“A Casa está sempre aberta a atender a população ao máximo possível. Por isso temos aqui instituída a Escola do Legislativo, que é um órgão da Câmara que tem essa competência, de oferecer cursos, palestras, entre outras atividades que acrescentem conhecimento tanto aos nossos funcionários como à população como um todo”, observou o presidente da Câmara, Pretto Miranda Cabeleireiro (PPS).

E neste sentido, para o presidente da EL, vereador Dr. Edu Fenerich (PPS), “da mesma forma em que estamos buscando integrar o público ouvinte ao universo do surdo, com o curso de LIBRAS que realizamos desde o final do ano passado na Câmara, também temos que proporcionar gratuitamente ao público surdo a compreensão da língua Portuguesa. É uma via de mão dupla. Por isso pedimos apoio à APÁS, uma vez que ela atende a comunidade surda da cidade e também da região, e tenho certeza que será de grande valia este conhecimento, que somente Deus o tira”, pontuou Fenerich.

“Nós, da APÁS, estamos extremamente contentes em apoiar este evento promovido pela Escola do Legislativo da Câmara. Aqui [APÁS] é a “casa do surdo” de Jaboticabal. É onde diariamente atendemos este público que precisa de oportunidades, lembrando que a língua nativa do surdo, ou seja, a primeira língua, é a LIBRAS e não o Português, e para que eles se desenvolvam e se insiram de fato na nossa sociedade é importante o conhecimento da Língua Portuguesa”, destacou a supervisora da entidade apoiadora, Miucha Carregari.


Ana Paula Junqueira
Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478